terça-feira, 30 de agosto de 2011

Aderbal Barreto é empossado como procurador de Justiça

Uma longa e exemplar caminhada, empreendida sem atalhos, na qual teve sua história institucional sempre pautada pelo mérito da antiguidade, sem jamais ter obtido uma promoção por merecimento, não obstante o brilho e a tenacidade de sua exemplar trajetória. Essas foram algumas das palavras utilizadas pela procuradora de Justiça Ilona Márcia Reis para sintetizar a história do promotor de Justiça Aderbal Simões Barreto, o mais novo integrante do Colégio de Procuradores de Justiça do Ministério Público do Estado da Bahia, empossado na noite de ontem, dia 29, em sessão solene presidida pelo procurador-geral de Justiça Wellington César Lima e Silva. “Sua peregrinação é a mais longa de que se há notícia entre os colegas da geração de que fomos figurantes no Ministério Público baiano”, frisou Ilona Reis, destacando os quase 34 anos de carreira do novo procurador de Justiça e ressaltando que ele chega ao topo da carreira “amadurecido, sábio e vertical, sem perder o prumo que emoldura a biografia dos grandes homens”. “Que o seu sacrifício na carreira, nobre procurador de Justiça, ecoe como um clamante brado para a melhoria de métodos do aferir merecimentos em nossa querida Instituição”, pontuou.
Manifestando o contentamento em participar pela primeira vez, na qualidade de procurador-geral de Justiça, da posse de um integrante do Colégio de Procuradores de Justiça, Wellington César Lima e Silva afirmou ter a convicção de que o ingresso de Aderbal Barreto no Órgão da Segunda Instância dignificará o colegiado. Destacou, ainda, a importância da unidade institucional e defendeu que o Ministério Público, instituição com tarefa tão nobre, precisa desenvolver uma espécie de “estratégia fraterna” para alcançar os desafios de alto significado estabelecidos na Constituição Federal. Fazendo uma analogia a um coral, o chefe do MP concluiu sua saudação afirmando que compreende o ingresso do novo procurador de Justiça “como uma voz que se somará às outras vozes do Colégio de Procuradores de Justiça, buscando não a perfeição, mas a harmonia; reconhecendo que a dissonância faz parte da convivência, mas sempre buscando apurar o ritmo, fazendo com que a música aconteça de forma cada vez mais agradável”.
Natural de Taperoá, Aderbal Barreto ingressou no Ministério Público em 14 de outubro de 1977, sendo promotor de Justiça das comarcas de Cotegipe, Prado, Santa Inês, Rio Real, Ituberá, Valença e Ipiaú, até ser promovido por antiguidade, em 1994, para Salvador, onde atuou na 2ª Promotoria de Justiça de Acidentes de Trânsito e na Promotoria de Justiça Criminal. A ascensão ao cargo de procurador de Justiça, após “uma carreira marcada por promoções por antiguidade”, também foi destacada pelo promotor de Justiça Fernando Lins, que, representando a presidente da Associação do Ministério Público da Bahia (Ampeb), Norma Angélica Cavalcanti, parabenizou Aderbal Barreto pelo momento de vitória pessoal, desejando-lhe pleno sucesso. Também compuseram a mesa solene do evento o subcorregedor-geral do MP, procurador de Justiça Paulo Marcelo Santana; o secretário-geral do MP, promotor de Justiça Márcio Fahel; a desembargadora Nágila Brito, representando a presidente do Tribunal de Justiça, Telma Brito; e o chefe de gabinete Edmon Lucas, representando o governador Jaques Wagner.
30/08/2011 13:10:50
Redatora: Aline D'Eça (MTb-BA 2594)


Nenhum comentário:

Postar um comentário